terça-feira, 25 de dezembro de 2012





CHEGOU O NATAL
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil

E MAIS UM NATAL!…

Mais uma vez é NATAL, data em que se convencionou o Nascimento de Cristo. Momento de reflexão? Sim. Como deveriam ser todos os dias do ano.
A humanidade se mobiliza, vamos comprar presente, preparar a Ceia de Natal… que pena! Que pena que não seja sempre NATAL na vida de todas as criaturas de Deus, de todos os irmãos de Cristo.
Que não nos lembremos dos que sofrem num leito de hospital, daqueles que não têm um pão para comer, enquanto muitas vezes de tão fartas nossas mesas, damo-nos ao luxo de jogar comida fora.
É lamentável, que tanto nessa época como durante todo o ano vejamos guerras eclodirem, a sede do poder aguçada destruindo e mutilando vidas.
Que possamos fazer de nossas vidas o NATAL constante, no verdadeiro sentido da palavra.
Que possamos nos dar as mãos e cirandar cantando a canção do amor, da paz, da fraternidade, da piedade.
Comecemos então hoje e vamo continuar entoando esse lindo canto durante anos consecutivos.

CHEGOU O NATAL!

Mais uma data máxima da cristandade se aproxima, mais um NATAL!
O Rei foi esperado com muita ansiedade, nasceria em berço ouro?
Teria como origem a realeza, todos o cultuariam, pois seria um rei.
Nasceu o Rei, ao invés de realeza, originou-se de uma família simples.

Ao invés de um palácio, nasceu numa manjedoura. Seria Ele o Salvador?
O homem, desde os primórdios, apesar da inteligência não o aceitou.
Mas era o grande advento, o Salvador do homem, e era seu irmão!
Mal nascera, sofria a perseguição desenfreada do faraó, veio o exílio.

Crescia o Menino Jesus em estatura e sabedoria, filho de carpinteiro
e de uma mulher simples e pura, escolhida para ser sua mãe: Maria.
Veio Jesus para nos ensinar o Evangelho, que é a forma do bom viver.
Seria tão fácil se os homens tivessem aceitado o seu amor incondicional.

Coloquemo-nos diante de uma simples manjedoura, e numa reflexão.
Pensemos no Menino Jesus ali… ladeado por de seus pais, pastores, reis,
e vamos recebê-lo como quem recebe a PAZ almejada pelos homens.
Contemplemos esta cena, e nela nos coloquemos para sentir o NATAL

O advento de Cristo, que veio para os seus e estes não o receberam.
Que possamos cultuá-lo durante os trezentos e sessenta e cinco dias
E com Ele cearmos, para então compreendermos o sentido do Natal
Espalhando pelo mundo a semente do amor, uma semente que brote.

E brotando, frutifique plenamente banindo do mundo as guerras
As perversidades, o ódio entre irmãos, pais e filhos as nações
Este é o verdadeiro sentido natalino que deve no mundo reinar.
E nascer nos nossos lares, no nosso cotidiano, frutificar.

À medida que no nosso coração a paz faz moradia
Neste momento memorável, vamos nos dar as mãos e cantar
A vida, o amor, o advento de Cristo nosso Senhor festejar.
Todos em uníssono, unidos glória a Deus em hino entoar.

Ao Senhor JESUS bendizermos e o Seu nome sempre louvar
Libertos da escravidão, pois o menino Jesus veio nos salvar.

Dez.2005

Nenhum comentário: