sábado, 31 de janeiro de 2015

NASCEMOS E EVOLUÍMOS

Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil

Nascemos...
Crescemos de dentro para fora
Em estatura o crescimento aflora
Aprendemos que a vida nos faz crescer
E começamos o aprendizado do bom viver.

Crescemos...
Agora nosso crescimento já difere
Aprendemos a nos desenvolver de fora para dentro
Nessa fase introspectamos condutas que se aprende
Continuamos o processo que o viver nos confere.

Amadurecemos...
Ao longo da vida cada aprendizado, um novo ser
As mudanças acontecem, são elas que nos fazem crescer
Apreendemos os processos que nos modificam internamente
Nosso interior receptivo aflora e o que amadureceu reflete externamente.

Envelhecemos...
Ao envelhecer herdamos ao longo do tempo as rugas
Porém, deixamos como herança nossos ensinamentos
Sabermos envelhecer é uma arte, com a vida faz o contraste
Ao partirmos para a eternidade, na terra deixaremos nossa arte.

Recife, 05.02.2005

Publicado:
- II Antologia do Portal CEN- CÁ ESTAMOS NÓS, lançada em 09/06/2006 no Rio de Janeiro. Editora ALL PRINT/SP - ISBN 85-7718-020-4.

EM BUSCA DE MIM

Mercedes Pordeus 
Recife / PE 




Percorri labirintos, viajei por entranhas.
Busquei incessantemente o meu âmago
Nessa busca eu me perdi por caminhos
Perseguidos pela ânsia da minha procura.

Foi aí que adentrei num mar de sonhos
Divagando entre nuances de verdes águas
Em cada gotícula de vivência deixei as mágoas
Então eu me permiti viver a realidade sonhada.

Com a minha consciência me encontrei
Sou alguém que ama na ânsia de acertar
Na busca do acerto sou suscetível a errar
São os erros e acertos que me fazem pensar.

Nesse momento de introspecção que percebi
Havia no meu interior longas distâncias que atingi
Para enfim, perceber que eu sempre estive aqui.
Sim, aqui mesmo perto de mim, isso eu descobri.

Nas ondas do grande mar no qual mergulhei
Nas suas águas, ao sol, cintilantes deambulei.
Eu me senti tão leve! Com a sua magia despertei
Foi sentindo essa força que eu me encontrei.

domingo, 14 de setembro de 2014

A BORBOLETA E A TRANSFORMAÇÃO





Mercêdes Pordeus
Recife/PE

Não importa se somos simples e apenas de uma cor
Se nossas asas pequenas ou grandes e multicolores
Ou se elas embelezam o ambiente num lindo furta-cor
Todas somos irmãs e por isso filhas do mesmo Criador. 

Nossa missão na natureza é colorida e prazerosa
Nos momentos da nossa transformação para a vida
Embora tenhamos atravessado os momentos difíceis
Preparamo-nos para alçar voo triunfal nessa rodaviva. 

Nós somos símbolo da transformação e do renascimento 
Através do novo começo nos fortalecemos para o futuro
Aprendendo ainda a sermos sábias e pacientes no obscuro
Para que alcancemos a luz através dos bons ensinamentos. 

Hoje nós somos elementos multiplicadores da singeleza
Compreendemos que a liberdade é nossa autenticidade
Se cumprirmos com a determinação da mãe natureza
E espalharmos o amor com firmeza e nossa simplicidade.

Com essa mesma simplicidade vemos Deus em cada canto
E unidas formando o maravilhoso, colorido e rico panapaná
Alcançaremos da vida e da natureza o tão desejado encanto
Que dos jardins da vida trará a almejada paz que deles fluirá.

http://www.camarabrasileira.com/rv11-088.htm

domingo, 1 de setembro de 2013

LUA


MOON - Lua 16-04-11 01

Lua - MOON - 16-04-11 01

POEMA A LUA

Mercedes Pordeus

Lua que testemunhas tantas alegrias e tristezas

Tantos sonhos realizados, outros desfeitos
Lua, que estás tão longe e ao mesmo tempo tão perto de nós
Que nos causa tantas felicidades e seus efeitos.

Lua, criação que nos foi oferecida pelo Senhor

Para nos acompanhar, e ao nosso lado caminhar
Bastando para ti olhar, à tua magnitude nos atermos
Para concluir, quão tamanha tua grandeza.

Lua, belas inspirações nos ensejas

És poema aos namorados que ao te olharem versejam
Lua, que estás aí pertinho de DEUS
Diz-me, onde estão os meus que partiram?

Que foram para tão longe de mim, transcenderam

Será, oh! Linda lua que deles também és testemunha?
No infinito onde te encontras, onde Deus te colocou
Sabiamente, esse mistério só pertence a Ele, e quem sabe a ti!

Soberana Lua...

A realidade perceptível é só uma : musa inspiradora
Continuas a ser a mais bela dos enamorados
E daqueles que com sabedoria a ti direcionam os olhares.

19/10/2004

www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=30069


Moon witnesses that many joys and sorrows

So many dreams realized, other broken
Moon, are you so far and yet so close to us
That causes us so much happiness and its effects.


Moon, creating what was offered to us by the Lord

To join us and walk beside us
Simply look for yourself, your magnitude we stick to
To conclude, how great your greatness.

Moon, beautiful inspirations us the opportunity

You're poem the lovers who look at you I rhyme
Moon, you're there close to GOD
Tell me, where are my departed?

Which were so far from me, transcended

It will, oh! beautiful moon also are witness to them?
At infinity where you are, where God put you
Wisely, the mystery only belongs to Him, and who knows you!

Sovereign Moon ..

The perceived reality is only one: muse
You continue to be the most beautiful of lovers
And those who wisely looks to you direct.

http://www.flickr.com/photos/lucasmendesbh/5625251481/


sexta-feira, 29 de março de 2013

PÁSCOA



Páscoa 
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil

 Perguntaram-me o que é a Páscoa
E eu fiquei a pensar...
Procurando assim, uma forma de explicar 
Páscoa será Renovação? 
Será Ressurreição? 
Ou será Redenção? 

Comecei então, a compor minha definição
 Do que seria a Páscoa na minha concepção.
É morte, ressurreição e vida 
A passagem da morte para a vida
Resultado do sacrifício de Cristo 
Como marco para o Cristianismo.
Instituída por Cristo como novo memorial 

A Ceia para ser símbolo do amor paternal
De Deus para conosco, entregando seu filho
Para por nós, submeter-se ao sacrifício.
Sacrifício cruento e aterrador pleno de dor
Provando Deus por nós seu amor.

Coloco-me como expectadora penso... 
O sofrimento de Jesus terá valido a pena? 
Mesmo depois de tudo isso o homem teima. 
Criado à imagem e semelhança De Deus: Pai, Filho e Espírito Santo. 
Comete tantas atrocidades causando espanto.
E tudo isso dispersa a nossa esperança.

Seria então a Páscoa uma mera data
A ser comemorada no calendário anual?
Ou então para ser vivida no mundo atual?
Páscoa, é a expressão mais alta do sacrifício
De Jesus Cristo para nossa remissão Imolado como o Cordeiro pascal 
Derramou seu sangue para nos dar vida 

E vida em abundância. Pena que o homem em sua ignorância
Não saiba compreender a felicidade real 
E teime em personificar o Judas afinal.
Sigamos, pois nessa caminhada.
Até que findemos nossa jornada
Não fazendo desta data simplesmente

Uma data pré-fixada em nossa mente 
Que contemplemos a cruz do calvário
Vazia como sinal de vitória. Sim, 
Ele ressurgiu para a Glória! 
Traído por um beijo na face
Venceu a morte com dor

Num um silêncio assustador.


sábado, 16 de março de 2013

Dueto : AGORA E...PARA SEMPRE

AGORA E...
Victor Jerónimo
Agora um templo novo é nascido
Das profundezas do meu ser.
Tal como um altar rejuvenescido
Dos escombros do anoitecer.
Catedral imensa se adivinha
Em forma e conteúdo,
Qual presença embevecida
Em luz, formas e amor.
E em ti minha alma se acende,
E em mim um altar renasce,
Pleno numa alegria imnuscuída.
Tudo se foi e se perdeu no tempo.
Agora há uma nova luz vivida.
No porvir o renascer do nosso encanto.
21.07.2004
PARA SEMPRE
Mercêdes Pordeus
Para sempre edifiquei meu amor
Sobre uma pedra angular
Por isso, ele não ruirá
Sob efeito de nenhuma erosão.
Renascido do meu âmago
Estruturou-se através do cotidiano,
Suas estruturas advêm das experiências
Se com sabedoria discerni-las.
Se em ti minha alma se acende
A cada alvorecer renasce
Tomando dimensões impalpáveis.
Se encontraste uma nova luz vivida,
Eu em ti também a encontrei,
Então a façamos renascer no porvir.
28/07/2004

MAINTENANT, E…
Victor Jerónimo
Ce jour… vient de germer un nouveau temple
des profondeurs de mon être
tel un autel revenu
des décombres de la nuit
Une immense Cathédral, augurons
en format et en contenu
Telle une présence, passion
de lumière, contours et communion
En toi, mon âme s’embrase 
et en moi, un oratoire revit
Empli d’une intrinsèque joie
Le passé est révolu, évanoui dans les temps
Une nouvelle lumière est apparue
L’avenir, est la renaissance de notre magie.
POUR TOUJOURS
Mercêdes Pordeus
J’ai construit mon amour… pour toujours
sur une pierre angulaire
Pour qu’il ne tombe pas en ruines 
sur l’effet de l’érosion du temps
Réanimé du profond de mon âme
et rénové dans tous les quotidiens
Ses bases sont des appétences
qu’il faut discerner avec sagesse
Si en toi, mon âme s’enflamme
Chaque matin, est claire genèse
qui prend des dimensions inédites
Si en moi, tu vois une lueur animée
Je l’ai puisée au sein de ton être
Gardons-la frétillante à l’éternité.
(Traduzido por : Fernando Oliveira, "FEROOL"Paris)

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

BRASILEIRA SOU
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil

Brasileira sou, mas trago no sangue
Herança de um bravio povo, português
Desbravador, com força de colonizador
Descobridor , sem temor nem torpor
Em comum, somos também Pátria abençoada
Que na sua História salvaguarda a esperança
Pátria de heróis? Também, pelo sonho de liberdade
Embalado no berço da austeridade
Também vivendo a realidade, ainda que sonhadores
Assim fomos  e assim somos nações abençoadas
Povo luso-brasileiro, povo irmão, vidas entrelaçadas.
 
BRASILERA SOY
Mercêdes Pordeus

 
Español : ROSENNA
Marcelo Romano - LOUCURA POÉTICA



Brasilera soy, traigo en la sangre
Herencia de un bravío pueblo, portugués
Amansador, con fuerza de colonizador
Descubridor , sin temor ni apatía
En común, somos también Patria bendecida
Que en su Historia salvaguarda la esperanza
¿Patria de héroes? También, por el sueño de libertad
Embalado en la cuna de la austeridad
También viviendo la realidad, aunque soñadores
Así fuimos, así somos naciones bendecidas
Pueblo luso-brasileño, pueblo hermano, vidas entrelazadas.


terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

DOR DE POETA

DOR DE POETA
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil

Se se morre de Saudades,
Tristeza, sofrimento ou dor
Chora-se até por um amor
Amor que ficou na saudade.

Sim poeta, expressa a tua dor
Pois vives da expressão
De tudo que te leva ao amor
Mas lembra bem...

Nem só de dor vive o amor
Se com lágrimas é o teu cantar
Por quê não esperar
Sim, essa dor vai sarar
E não haverá o poeta a cismar.

Quando chega o amor
Esvai-se tudo que é tristeza e dor
Vive-o plenamente
E canta-lhe todo teu esplendor.


DOLOR DE POETA
Mercêdes Pordeus


Español : ROSENNA
 Marcelo Romano - LOUCURA POÉTICA

Si se muere de Añoranza,
Tristeza, sufrimiento o dolor
Se llora hasta por un amor
Amor que quedó en la añoranza.

Si poeta, expresa tu dolor
Pues vives de la expresión
De todo lo que te lleva al amor
Pero recuerda bien...

Ni sólo de dolor vive el amor
Si con lágrimas es tu cantar
Por qué no esperar
Si, ese dolor va sanar
Y no habrá poeta para pensar.

Cuando llega el amor
Se disipa todo lo que es tristeza y dolor
Vívelo plenamente
Y cántale todo tu esplendor.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013


 
DIZER TE AMO
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil

Dizer te amo, é te aceitar como pessoa
Dizer te amo, é te compreender
É compartilhar de tua vida como irmão
É acima de tudo uma tomada de posição

Atitude de renúncia e desapego material
Seguir ao lado daquele que sofre
É doação de si mesmo para melhorar o outro
Suprir sua necessidades quando preciso

É acordar pela manhã de bem com a vida
Bendizer a natureza, o balanço da folha ao vento
O cantar dos pássaros , curtir o colorido da borboleta
Observar o casulo que se desenvolve.

Dizer te ao, é estender a mão ao próximo
E com ele caminhar pela estrada da vida
Em silêncio quando ele assim o quiser
Proferindo palavras atendendo seu apelo.

Dizer te amo é uma atitude necessária
Para melhorar nossa vida e a do outro
Contribuindo para o crescimento mútuo.
E nunca se arrepender de ter dito: te amo.
 

DECIR TE AMO 
Mercêdes Pordeus
 
Español : ROSENNA
Marcelo Romano - LOUCURA POÉTICA


Decir te amo, es aceptarte como persona
Decir te amo, es comprenderte
Es compartir de tu vida como hermano
Es por encima de todo una toma de posición

Actitud de renuncia y desapego material
Seguir al lado de aquel que sufre
Es donación de si mismo para mejorar el outro
Suplir sus necesidades cuando preciso

Es despertar por la mañana bien con la vida
Bendecir la naturaleza, el balanceo de la hoja al viento
El cantar de los pájaros, disfrutar el colorido de la mariposa
Observar el capullo que se desenvuelve.

Dicir te amo, es extender la mano al prójimo
Y con él caminar por la carretera de la vida
En silencio cuando él así lo quiera
Profiriéndo palabras atendiendo su apelo.

Decir te amo es una actitud necesaria
Para mejorar nuestra vida y la del otro
Contribuyendo para el crecimiento mutuo.
Y nunca arrepentirse de haber dicho te amo.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

NUDEZ DA ALMA




NUDEZ DA ALMA
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil

Hoje eu quis me desnudar,
Não uma nudez corpórea,
Mas a nudez da alma
Dos sentimentos a libertar.

Quis me libertar dos preceitos
E de todos os preconceitos,
Das ilusões e sonhos desfeitos,
Tornar a minha vida perfeita.

Eu me vi diante de uma fonte
Vestida de branco, nos movimentos, leveza,
Soltando os cabelos e nela submergindo
Despi-me e me banhei suavemente.

Banhei-me naquela água límpida e transparente,
Naquela transparência deixei meus lamentos,
Revivi meus sonhos, os mais lindos sonhos
Liberei afinal todos os meus tormentos. 
 

E foi nesse contexto que deixei os dissabores,
Criei meu quadro, realidade dos sonhos,
E foi emergindo daquela fonte ladeada de flores
Que compreendi da vida os amores.

Neste ato de imersão e emersão
Compreendi ser hoje o amor presente
Desprovido, despojando-me das ilusões
Dei-me mais uma chance, neste amor presente.

Vivendo este amor sem conceitos pré-estabelecidos
Fluindo naturalmente o sonho da felicidade
Essa sim, hoje é minha doce realidade
Por Deus, realização dos sonhos concebidos.
 

DENUDEZ DEL ALMA 
Mercêdes Pordeus
Español : ROSENNA
Marcelo Romano - LOUCURA POÉTICA
 
Hoy yo quise desnudarme,
No una desnudez corporal,
Pero la desnudez del alma
De los sentimientos a liberar.

Quise liberarme de los preceptos
Y de todos los prejuícios,
De las ilusiones y sueños deshechos,
Tornar mi vida perfecta.

Yo me vi delante de una fuente
Vestida de blanco, en los movimientos, levedad,
Soltando los cabellos y en ella sumergiendo
Me desnudé y me bañé suavemente.

Me bañé en aquella agua límpida y transparente,
En aquella transparencia dejé mis lamentos,
Reviví mis sueños, los más lindos sueños
Liberé al final todos mis tormentos.

Y fue en ese contexto que dejé los sinsabores,
Cree mi cuadro, realidad de los sueños,
Y fue emergiendo de aquella fuente ladeada de flores
Que comprendí de la vida los amores.

En este acto de inmersión y emersión
Comprendí, ser hoy el amor presente
Desprovisto, despojándome de las ilusiones
Dame una chance más, en este amor presente.

Viviendo este amor sin conceptos pre establecidos
Fluyendo naturalmente el sueño de la felicidad
Esa si, hoy es mi dulce realidad
Por Dios, realización de los sueños concebidos.


terça-feira, 25 de dezembro de 2012




Um pequena reflexão sobre o Natal
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil


E chega mais um Natal! Natal? O que é mesmo o Natal?
A cada ano que passa o verdadeiro sentido desta data vai desvanecendo, vai se perdendo no tempo.
Tempo! Ah! Tempo que só nos deixa a saudade. Saudade do que não fomos, não pudemos ser, não soubemos ser...
A data máxima da Cristandade nos faz refletir.
Refletir sobre nosso egoísmo, nossa falta de fraternidade, sobre as perdas que chamam "necessárias", gostaria bem que fossem desnecessárias que não acontecessem, mas por que essa reflexão só tem que vir à tona a essa época?
A humanidade já nem sabe se comemora mesmo a data do nascimento de Cristo, ou se não passa de mera convenção. As guerras assolam o mundo, os homicídios são fatos banais e corriqueiros, as vidas que Cristo veio para resgatar, essas já não têm nenhum valor entre os irmãos.
Resgate, sim que linda palavra ainda mais quando se trata da Redenção da nossa alma, mas que alma? O homem já nem se lembra que a tem!
Natal, reflexão, fraternidade são vividas a cada dia, ou pelo menos deveriam ser, isso é o Natal que nosso Redentor gostaria de ver na Terra.
Músicas natalinas, até mesmo os comerciais de nossa infância nos trazem nostalgia, o que os nossos filhos já não conseguem ouvir como as lindas músicas natalinas nas televisões e radios de antigamente.
O que vemos hoje é inadmissível, em se tratando do espírito natalino.
Outro dia assisti a um programa com lindos coros entoando cânticos de rara beleza, e logo após uma repórter dizia: saindo agora do clássico, vamos ao sambódromo, dando aí o início de ensaios de escolas de samba, o popular.
Não se sabe mais onde começa ou termina a festa do Nascimento de Cristo e começa uma manifestação profana tentando ou mesmo se infiltrando no Natal.
Eu disse acima onde termina o natal... Enganei-me. O verdadeiro natal nunca deveria se acabar para esperar o outro um ano mais à frente. Tinha mais era que continuar na busca da paz interior, eu comigo mesmo, eu com os outros (o mundo) e eu com Deus.
Ele é feito de atitudes diárias e constantes. Por exemplo, passo todos os dias pelas ruas da cidade e pelas pontes onde estão ali pedintes sedentos de um gesto de carinho, de um pão. Todos os dias ali e nunca lhes dei nada do que humildemente me pedem.
Ah! Mas hoje é natal, e além do mais essa moedinha não vai me fazer falta mesmo, por que não jogá-la até de modo desprezível na sua latinha...E assim são tantas outras atitudes que ficam latentes um ano inteirinho para se manifestarem no natal até mesmo de forma errônea.
É isso que se pensa de uma data tão importante para o Cristianismo?
É apenas uma reflexão! É o que vemos no nosso dia a dia.
E é com ela que termino desejando um Feliz Natal a todos, a toda a humanidade, que as guerras pela ganância pelo poder e outros motivos terminem dando lugar a paz e que possamos conviver diariamente como irmãos, na busca constante do bem do outro, possamos assim direcionar nossos pensamentos ao Criador que nos deu o seu Filho para sofrer por nós tudo o que não teríamos forças para sofrermos calados, aquele que nos redimiu diante do Pai. 

Não esqueçamos nossos irmãos menos favorecidos que precisam de nós e a quem podemos ajudar material e emocionalmente.
Deus abençoe a todos neste Natal que se aproxima e faça de suas vidas um eterno NATAL, cada dia seja comemorado o nascimento do amor e paz em nossos corações, porque Cristo é amor.

FELIZ NATAL para todos!




CHEGOU O NATAL
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil

E MAIS UM NATAL!…

Mais uma vez é NATAL, data em que se convencionou o Nascimento de Cristo. Momento de reflexão? Sim. Como deveriam ser todos os dias do ano.
A humanidade se mobiliza, vamos comprar presente, preparar a Ceia de Natal… que pena! Que pena que não seja sempre NATAL na vida de todas as criaturas de Deus, de todos os irmãos de Cristo.
Que não nos lembremos dos que sofrem num leito de hospital, daqueles que não têm um pão para comer, enquanto muitas vezes de tão fartas nossas mesas, damo-nos ao luxo de jogar comida fora.
É lamentável, que tanto nessa época como durante todo o ano vejamos guerras eclodirem, a sede do poder aguçada destruindo e mutilando vidas.
Que possamos fazer de nossas vidas o NATAL constante, no verdadeiro sentido da palavra.
Que possamos nos dar as mãos e cirandar cantando a canção do amor, da paz, da fraternidade, da piedade.
Comecemos então hoje e vamo continuar entoando esse lindo canto durante anos consecutivos.

CHEGOU O NATAL!

Mais uma data máxima da cristandade se aproxima, mais um NATAL!
O Rei foi esperado com muita ansiedade, nasceria em berço ouro?
Teria como origem a realeza, todos o cultuariam, pois seria um rei.
Nasceu o Rei, ao invés de realeza, originou-se de uma família simples.

Ao invés de um palácio, nasceu numa manjedoura. Seria Ele o Salvador?
O homem, desde os primórdios, apesar da inteligência não o aceitou.
Mas era o grande advento, o Salvador do homem, e era seu irmão!
Mal nascera, sofria a perseguição desenfreada do faraó, veio o exílio.

Crescia o Menino Jesus em estatura e sabedoria, filho de carpinteiro
e de uma mulher simples e pura, escolhida para ser sua mãe: Maria.
Veio Jesus para nos ensinar o Evangelho, que é a forma do bom viver.
Seria tão fácil se os homens tivessem aceitado o seu amor incondicional.

Coloquemo-nos diante de uma simples manjedoura, e numa reflexão.
Pensemos no Menino Jesus ali… ladeado por de seus pais, pastores, reis,
e vamos recebê-lo como quem recebe a PAZ almejada pelos homens.
Contemplemos esta cena, e nela nos coloquemos para sentir o NATAL

O advento de Cristo, que veio para os seus e estes não o receberam.
Que possamos cultuá-lo durante os trezentos e sessenta e cinco dias
E com Ele cearmos, para então compreendermos o sentido do Natal
Espalhando pelo mundo a semente do amor, uma semente que brote.

E brotando, frutifique plenamente banindo do mundo as guerras
As perversidades, o ódio entre irmãos, pais e filhos as nações
Este é o verdadeiro sentido natalino que deve no mundo reinar.
E nascer nos nossos lares, no nosso cotidiano, frutificar.

À medida que no nosso coração a paz faz moradia
Neste momento memorável, vamos nos dar as mãos e cantar
A vida, o amor, o advento de Cristo nosso Senhor festejar.
Todos em uníssono, unidos glória a Deus em hino entoar.

Ao Senhor JESUS bendizermos e o Seu nome sempre louvar
Libertos da escravidão, pois o menino Jesus veio nos salvar.

Dez.2005

domingo, 13 de maio de 2012

MÃE...
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil



Mãe... estou aqui!...
Deixe-me aconchegar no seu regaço
Falar-lhe dos meus medos e anseios
Contar-lhe da minha felicidade
Fazê-la sabedora do amor que encontrei.

Mãe... tive que ir!...
Deixe-me contar sobre o meu dia
Hoje me despedi tão rapidamente
Saí atrasada para a minha rotina
Nem tive tempo para beijá-la e dizer que a amo.

Mãe... estou de volta!...
Dê-me seu carinho e amor
Dispense-me seu afeto
Aqui no seu colo sinto-me segura
Já nenhum mal me atemoriza.

Mãe... não se vá!...
Não parta e me deixe só
Sentir-me-ei desamparada e insegura
Não conseguirei caminhar sozinha
Preciso sentir seu toque.

Mãe... você se foi!...
Estou desesperada, ai que saudade!
Você partiu mãe, que vou fazer?
Já não tenho seu regaço.
Minha vida parece fenecer...

Mãe... o tempo passa!...
O tempo passa e você não esqueço
Carrego-a no meu coração e minha mente
Hoje você me acompanha, faz-se presente
Compartilhando comigo, pois comigo está sempre.

Mãe... estaremos sempre juntas!...
Nunca me deixará
Sua ausência física existe
Porém, trago comigo a essência
Dos seus ensinamentos que com sabedoria
Transmitiu-me através da sua existência.

Mãe... eu lhe agradeço!...
Hoje sou mãe de um filho
Que você viu nascer
Nele perpetuo o amor
Não o deixarei fenecer
Pois assim você me ensinou.

Mãe... na eternidade!...
Seja feliz no lindo jardim
Que Deus lhe reservou
Onde não há pranto nem dor
Colhendo o que na terra semeou
Interceda a Deus por quem amou.

Amo-lhe mãe
Beijo-a com carinho.



Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

domingo, 1 de abril de 2012



Páscoa
Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil

 Perguntaram-me o que é a Páscoa
E eu fiquei a pensar...
Procurando assim, uma forma de explicar
Páscoa será Renovação?
Será Ressurreição?
Ou será Redenção?

Comecei então, a compor minha definição
 Do que seria a Páscoa na minha concepção.
É morte, ressurreição e vida
A passagem da morte para a vida
Resultado do sacrifício de Cristo
Como marco para o Cristianismo.
Instituída por Cristo como novo memorial

A Ceia para ser símbolo do amor paternal
De Deus para conosco, entregando seu filho
Para por nós, submeter-se ao sacrifício.
Sacrifício cruento e aterrador pleno de dor
Provando Deus por nós seu amor.

Coloco-me como expectadora penso...
O sofrimento de Jesus terá valido a pena?
Mesmo depois de tudo isso o homem teima.
Criado à imagem e semelhança De Deus: Pai, Filho e Espírito Santo.
Comete tantas atrocidades causando espanto.
E tudo isso dispersa a nossa esperança.

Seria então a Páscoa uma mera data
A ser comemorada no calendário anual?
Ou então para ser vivida no mundo atual?
Páscoa, é a expressão mais alta do sacrifício
De Jesus Cristo para nossa remissão Imolado como o Cordeiro pascal
Derramou seu sangue para nos dar vida

E vida em abundância. Pena que o homem em sua ignorância
Não saiba compreender a felicidade real
E teime em personificar o Judas afinal.
Sigamos, pois nessa caminhada.
Até que findemos nossa jornada
Não fazendo desta data simplesmente

Uma data pré-fixada em nossa mente
Que contemplemos a cruz do calvário
Vazia como sinal de vitória. Sim,
Ele ressurgiu para a Glória!
Traído por um beijo na face
Venceu a morte com dor

Num um silêncio assustador.
 
 

sábado, 17 de março de 2012

O VARREDOR

Mercêdes Pordeus
Recife/Brasil


Varrendo a rua não importando se de noite ou dia.
O varredor com dedicação, o seu trabalho desempenha.
Pessoas passam indiferentes sem desejar bom dia
E não o agradecem pela a nobreza do seu empenho.


Ele varre toda a sujeira, os borralhos a vida inteira.
Não se importa se feitos por crianças ou adultos
Está ali, e permanece no seu silêncio absoluto.
Uma criança rompe do seu silêncio as fronteiras.


Apenas uma criança... Uma criança de rua!
Dedica um pouco do seu tempo e continua...
Observa o homem solitário no seu mundo imaginário
Criança que vive a indiferença do mesmo mundo arbitrário.


Pergunta ela: Por que você está tão triste?
O homem fica calado e a criança insiste.
- Você não vê, nem pareço ser humano!
Todos passam felizes, mas me ignorando.


Fico aqui varrendo, varrendo... incansavelmente
As pessoas passam e fingem que estou ausente
Assim como fazem com você, não percebe?
Nem se quer um pouco de carinho do irmão recebe.


E assim aquele homem continua a sua varredura
Varra amigo, só lhe peço, não perca a sua postura.
Nunca varra desse seu limpo e nobre coração
A esperança de que um dia aprendam uma lição.


De que todos têm uma alma e um coração
Que perante Deus nós somos todos irmãos
E que Ele entre nós não fez e nem fará acepção
Recebe-nos com a mesma afeição e sem distinção.


Em 28/05/2008.
Inspirado na pintura de Roberto Bérgamo





Ler mais: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=67488#ixzz1pLbXarjM
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives